BALNEáRIO CAMBORIú (47) 9 9129-4499
Ligamos para Você
Imóveis BC
Telefones para Contato

Busca de Imóveis

Selecione os critérios de busca nos campos abaixo e encontre seu imóvel dos sonhos

Blog » Como prevenir problemas nas estruturas de imóveis

Publicado na Quarta, 04 de março de 2020, 14h34
Como prevenir problemas nas estruturas de imóveis

Parte integrante da execução de qualquer projeto e construção, a prevenção de futuros problemas nas estruturas é essencial, para evitar problemas com as autoridades, gastos com modificações e manutenções que poderiam ser evitadas além da possível perda de vidas em casos mais graves.

Os principais sinais de problemas nas estruturas de imóveis são fissuras, trincas ou rachaduras nas paredes ou colunas que sustentam os edifícios ou casas. Sempre que eles aparecem é necessário ligar o sinal de alerta e investigar o que pode ter causado seu aparecimento.

 

Para prevenir problemas nas estruturas de imóveis é necessário, antes de tudo, de um projeto correto. Atentar-se aos cálculos, aos materiais, ao terreno e ao futuro uso da construção é essencial, pois cada um desses fatores pode alterar profundamente a construção e, caso não sejam consideradas corretamente, acarretar problemas estruturais que comprometem a integridade do projeto.

 

A vida útil de um projeto de sistemas estruturais, ou seja, o tempo em que ele é projeto para durar sem a necessidade de grandes alterações é, hoje, de no máximo 50 anos. Isso não quer dizer que após construído o edifício pode ser praticamente abandonado por esse período, mas sim que com manutenções corretas e a observância das normas a construção será considerada completamente segura para o uso durante esse período. Após isso é necessário reavaliar se a construção ainda mantém suas características de segurança.

 

No entanto existem diversos problemas que podem comprometer a sua construção e reduzir a vida útil de seu projeto drasticamente, seja por uma falha de cálculo, de execução ou de material.

 

O primeiro passo, sempre, é garantir que o cálculo estrutural esteja correto no projeto. Toda construção que começar com um cálculo errado necessitara de alterações profundas o que, dependendo do tamanho da alteração e da fase da execução, pode inviabilizar o projeto como um todo.

 

Para um cálculo estrutural capaz de prevenir problemas nas estruturas é necessário considerar os seguintes fatores:

Elementos estruturais que serão empregados, como se comportam e interagem;

Esforços e deformações que estrutura será submetida ao longo do tempo, para isso é muito importante ter em mente qual será o uso final da construção.

Cargas dos elementos estruturais ou não que deverão ser suportadas.

Dimensões dos elementos estruturais para que as cargas, esforços e deformações possam ser calculadas.

 

Com o projeto em mãos a construção pode começar, mas é necessário se atentar aos materiais empregados na obra. A alteração de um material previsto em projeto, geralmente para reduzir custos, pode acabar sendo um elemento que traz mais problemas do que soluções, pois pode não se comportar da mesma maneira que o elemento que foi substituído, bem como agregar mais carga ou deformar de maneiras não previstas em projeto.

 

Ficar atento ao material acaba sendo uma maneira bem simples de prevenir problemas nas estruturas, como, por exemplo, o emprego de reforços pertinentes e de maneira correta, garantindo que o material possua as características necessárias, evitando assim a descoloração (que aparece quando a água é adicionada em excesso), lixiviação (quando a cura é feita de maneira incorreta), as fissuras (quando a pasta de cimento chega à superfície e em seguida se contrai), as trincas (causadas por secagem inadequada, temperatura, assentamento do subgrau ou de sobrecargas aplicadas) e ondulações (causadas pela diferença da umidade e/ou temperatura entre o topo e o fundo da superfície).

 

Concluímos que para prevenir problemas nas estruturas os cálculos estruturais devem estar corretos, e para isso é necessário dar todos os insumos ao projetista, os materiais aplicados devem ser os considerados no projeto e a sua aplicação deve ser feita com a técnica correta, bem como, após a construção, é necessário fazer vistorias e manutenções periódicas.

 

Mais informações consultar NBR 15575.