BALNEáRIO CAMBORIú (47) 9 9916-9626 (47) 9 9911-6667
Ligamos para Você
Imóveis BC
Imóveis BC
Telefones para Contato

Busca de Imóveis

Selecione os critérios de busca nos campos abaixo e encontre seu imóvel dos sonhos

» Tendências de tecnologia na construção para os próximos anos

Tendências de tecnologia na construção para os próximos anos
Publicado em 28/Out/2020
Sem Categoria

Quando você pensa em avanços tecnológicos, sua mente pode automaticamente te ligar a setores como medicina ou eletrônica. O setor da construção não parece o tipo de indústria com avanços tecnológicos inovadores, mas, na realidade, é uma das indústrias mais inovadoras que existe.

Isso se deve ao fato de que a indústria da construção sempre respondeu com inovação quando confrontada com circunstâncias difíceis que exigem mudanças no setor da construção.

Essa adaptabilidade ajudou a impulsionar a indústria, ajudou a impulsionar coisas como projetar, desenvolver e construir um prédio da maneira mais eficaz. Neste artigo preparamos uma lista com as várias inovações presentes na construção e as tendências na tecnologia nos próximos anos.

 

1.    Design Assistido por Computador (CAD)

No auge da Idade Média, arquitetos, desenhistas, mestres pedreiros e construtores criaram alguns dos edifícios mais magníficos do mundo usando métodos de design e construção profundos para a época.

Por vários séculos, esses métodos permaneceram praticamente inalterados. Na última parte do século 20, no entanto, surgiu o design auxiliado por computador (CAD), mudando a construção de forma irrevogável - pela primeira vez, os conflitos durante a fase de design tornaram-se visíveis.

 

2.    Building Information Management (BIM)

Por mais que o CAD tenha se tornado amplamente utilizado pelos designers, o Building Information Management (BIM) vem se mostrando muito versátil, possibilitando que arquitetos, engenheiros, empreiteiros colaborem nos detalhes de design e construção usando o mesmo banco de dados e modelo de computador.

Como os profissionais mecânicos, elétricos e hidráulicos (MEP) sabem, o BIM envolve todas as partes interessadas no projeto trabalhando de forma colaborativa em um modelo 3D detalhado que inclui todos os sistemas funcionais de um edifício, como aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC) e instalações elétricas, bem como a estética das paredes, janelas e telhados.

Para os empreiteiros MEP, trabalhar de forma colaborativa economiza inúmeros recursos, já que a construção não começa até que todas as partes tenham enviado seus projetos, garantindo que os conflitos sejam detectados e corrigidos de forma rápida, fácil e antes do início do solo no local.

 

3.   Off-site Fabrication

Montar componentes grandes e complexos peça por peça no local, expostos aos elementos, pode ser difícil. O aumento da fabricação fora do local aumentou enormemente a eficiência desse processo.

Por exemplo, um trocador de calor maciço fabricado na loja de um fornecedor, não só chegará ao local pronto para ser conectado, mas também se beneficiará de um melhor gerenciamento de estoques de peças e materiais, bem como maior eficiência e produtividade. O retorno sobre o investimento aumenta, enquanto o desperdício e a ineficiência diminuem.

Uma grande economia no tempo programado é obtida quando componentes como trocadores de calor, unidades de bomba, compressores e painéis de instrumentos são fabricados na oficina em vez de no local, chegando ao último pronto para ser conectado.

 

4.     Construção Modular

Não são apenas componentes como os mencionados acima que agora podem ser fabricados fora do local - edifícios inteiros também podem ser, graças ao surgimento da construção modular.

Os módulos são feitos com os mesmos materiais e projetados com os mesmos padrões dos edifícios construídos no local, mas produzem muito menos perturbações ambientais. Os componentes chegam no local como e quando são necessários.

Hoje, uma vez que aproximadamente 70 por cento da construção é feita na forma de componentes, isso nos leva ao reino da fabricação e entrega 'just-in-time', que reduz os cronogramas no local e reduz o trânsito e o desperdício.

 

5.    Dispositivos Móveis

A tecnologia móvel transformou a indústria da construção de várias maneiras. Para os empreiteiros MEP, um dos maiores é a melhoria na gestão de projetos. Com o uso de smartphones e tablets, todos os envolvidos no processo podem trabalhar juntos e usar o mesmo modelo de processo, o que torna o trabalho mais organizado e em conjunto.

Os dispositivos móveis também permitiram análises em tempo real na construção. O Foremen agora pode acompanhar o desempenho, as condições e os custos durante o dia usando ferramentas de relatório, em vez de ter que criar um relatório no final dele. 

Os gerentes de projeto podem usar business intelligence móvel para prever as correções necessárias, permitindo-lhes agir imediatamente para manter as coisas dentro do cronograma e do orçamento. E os aplicativos de relatórios significam que todas as partes podem acessar insights analíticos, seja no local ou no escritório.

 

6.    Estações Totais Robóticas (RTS)

A maneira tradicional de projetar os serviços de construção em um local envolve uma equipe usando desenhos de construção e uma fita métrica, nível de bolha e teodolito - um instrumento de precisão para medir ângulos - para identificar pontos de fixação para tipos de eletrocalhas e tubulações.

Esse método, no entanto, não funciona bem com edifícios mais sofisticados. É demorado e árduo e tem uma grande margem de erro, o que pode levar a sérias consequências, como choques com outros serviços de construção e sistemas pré-fabricados que não se encaixam, levando ao desperdício de tempo, dinheiro e materiais.

Digite Robotic Total Stations (RTS), um eletrônico integrado com uma medição de distância eletrônica que pode ser controlada remotamente à distância. Utilizando um tablet equipado com o respectivo software, o layout pode ser concluído por uma única pessoa, com RTS garantindo maior eficiência, maior precisão, menos erros e menos burocracia, além de redução de custos de mão de obra.

 

7.     Equipamento de proteção individual (EPI)

Embora o equipamento de proteção individual (EPI) seja muito menos avançado tecnologicamente do que os outros itens desta lista, não há dúvidas de que contribuiu para revolucionar a indústria da construção nos últimos 40 anos em termos de saúde e segurança.

Por exemplo, os regulamentos que impõem uma obrigação aos empregadores no Reino Unido para garantir que os funcionários expostos a riscos de saúde e segurança recebam EPIs adequados foram introduzidos em 1992 sob a Lei de Saúde e Segurança no Trabalho, que começou em 1974. 

 

8.     A Internet

Esta lista estaria incompleta sem homenagear a rede de telecomunicações que revolucionou a construção. Os arquitetos da Idade Média mencionados anteriormente nunca poderiam ter tolerado até que ponto a internet transformou a forma como projetamos, construímos e monitoramos projetos de construção.

De software de gerenciamento de construção a equipamentos de pesquisa baseados em laser controlados remotamente como RTS e scanners a laser 3D a ferramentas de colaboração baseadas em nuvem que permitem que empreiteiros de engenharia e arquitetos se comuniquem e troquem ideias antes do início da construção, a era digital mudou a construção de forma inestimável.

Gostou do conteúdo? Para mais artigos sobre tecnologia, construção e ferramentas de auxilio na área, continue acompanhando o blog e o site da Skynet.