BALNEáRIO CAMBORIú (47) 9 9129-4499
Ligamos para Você
Imóveis BC
Telefones para Contato

Busca de Imóveis

Selecione os critérios de busca nos campos abaixo e encontre seu imóvel dos sonhos

» Quais as melhores plantas para interiores?

Quais as melhores plantas para interiores?
Publicado em 12/Nov/2020
Sem Categoria

Plantas em imóveis como casas ou apartamentos promovem diversos benefícios para os moradores, como melhorar a qualidade do ar, assim como incrementar a decoração. Contudo, é comum acontecer erros simples e que infelizmente comprometem a saúde delas, como regar demais ou de menos. Além disso, muitas pessoas acreditam que as plantas só podem ser cultivadas ao ar livre. Mas, para te ajudar a desvendar todos esses mitos, no post de hoje vamos falar quais são as melhores plantas para interiores e passar algumas dicas sobre como cuidar de cada uma delas.

1. Orquídea

Muito famosa por sua beleza, a orquídea se dá muito bem em ambientes internos, além de exigir poucos cuidados. Contudo, por ser mais delicada, é recomendado escorar a haste com um tutor, além de substituir os vasos de plástico pelos de barro, visto que são porosos e drenam melhor a água. Lembre-se de cultivá-la à meia sombra, ou seja, com luz indireta sobre ela.

2. Cróton

Com folhas grandes e coloridas, essa espécie prefere locais com bastante sol direto, então a dica é posicionar o vaso perto de uma janela. Contudo, não se adapta em locais com ar condicionado e deve ser manipulada com luvas, visto que pode causar irritações na pele.

3. Samambaia

A samambaia ficou na moda por muitos anos e agora está de volta aos lares brasileiros. Com coloração verde clara, as folhas são longas e pendentes, e que ficam volumosas com o tempo. Sendo assim, opte por plantá-la em vasos suspensos ou locais altos para aproveitar essa característica. O ideal é que ela fique à meia-sombra ou receba iluminação difusa, além de ficar longe do vento. Isso porque, ele é o responsável por queimar as folhas mais jovens dificultado assim seu crescimento.

4. Luca

Essa planta possui folhas longas, rígidas, pontiagudas e com bordas serrilhadas, sendo necessário plantá-la em um vaso ainda jovem para que ela se de bem em ambientes internos. Além disso, ela prefere locais com bastante claridade e ventilação, tornando-se extremamente resistente depois que se adapta ao local. Lembre-se de evitar o excesso de água a fim de garantir sua saúde.

5. Suculenta

Da mesma família que os cactos, que vamos falar mais pra frente, as suculentas possuem raiz, talo e folhas mais grossas, permitindo assim maior armazenamento de água por longos períodos. Elas são simples de cuidar e promovem diversos sinais quando precisam de algo. Por exemplo, se as folhas estiverem murchas, aumente a quantidade de água aos poucos. Agora se as da base começarem a apodrecer, diminua.

6. Espada de São Jorge

Muito conhecida por fornecer proteção aos lares, a espada de São Jorge possui folhas em formato cilíndrico, rígidas e verticais. Ela é extremamente resistente e se dá muito bem em ambientes internos à meia-sombra, mas também se da bem em locais que recebem luz direta ou difusa. Além disso, essa planta exige poucas regas, suportando até mesmo locais com ar condicionado.

7. Peperômia

A peperômia tem uma folhagem pendente, possuindo um formato bem ornamental e ao mesmo tempo delicado. Além disso, suas folhas são mais cheinhas e em formato de coração, variando entre as cores amarelo, verde e branco. Ela é ótima para locais como jardins verticais e vasos suspensos, visto que cresce para baixo. Inclusive, lembre-se de cultivá-la à meia sombra e que ela suporta a iluminação com luz florescente!

8. Cacto

Ideal para começar a cuidar das plantas, o cacto não é uma planta exigente. Ele gosta de passar várias horas no sol (iluminação direta) e pouca água. Então, quanto mais sol ele receber ao longo do dia, mais robusto ele irá ficar. Uma vantagem dessa planta é que ao ser inserida em vasos, ela para de crescer quando percebe que o espaço acabou. Então, se você não tem muitos locais para cuidar de plantas, essa espécie é a mais recomendada.

Lembre-se que a quantidade das regas irá variar de acordo com cada tipo de espécie, época do ano e o local em que ela está sendo cultivada. Portanto, para descobrir a periodicidade ideal, coloque um palito de dente ou seu dedo na terra e afunde um pouco. Se estiver úmida, aguarde mais uns dias e teste novamente, para assim poder regar.

Além disso, esteja atento à posição solar de sua casa ou apartamento, pois assim você irá saber a melhor posição para cultivar suas plantas. Uma boa dica, caso esteja à procura de um imóvel junto à imobiliária, é solicitar essa informação para ela. Por ter maior experiência e estudar sobre o local, ela irá te orientar em todas as questões. Com isso, você pode escolher as plantas que deseja com maior antecedência.

Por fim, mas não menos importante, tenha paciência com suas plantinhas. Com o tempo você vai começar a entender quais são as necessidades e os sinais que elas dão quando precisam de mais luz, água, nutrientes, entre outros.